Resenhei! O Enigma de Espinosa

Autor: Irvin D. Yalom Editora: Agir Gênero: Ficção estrangeira, História, Filosofia. Páginas: 400 ISBN: 9788522011803 T...



Autor: Irvin D. Yalom
Editora: Agir
Gênero: Ficção estrangeira, História, Filosofia.
Páginas: 400
ISBN: 9788522011803
Tradução: Maria helena Rouanet
Mas informações no site da editora.



Um dos documentos utilizados como prova, após a II Guerra Mundial, no tribunal de Nuremberg, contra Alfred Rosemberg, foi um relatório sobre a apreensão que fez de todos os livros pertencentes à Spinozahuis, ou casa de Espinosa, museu que abrigava uma representação fiel de quase todos os livros originalmente pertencentes à biblioteca pessoal do filósofo holandês. Segundo o relato do oficial que o acompanhou no dia, Rosemberg alegou precisar dos livros para resolver o "problema de Espinosa" – e é a partir daí que se iniciam as especulações históricas as quais constroem o enredo do livro.

Os capítulos se alternam em tempo e protagonista: um conta a vida de Rosemberg, o outro de Espinosa, assim por diante. Os relatos se iniciam quando ambos ainda são jovens e, com diversos saltos no tempo, descrevem pontos importantes de suas vidas até o fim. 

A ideia principal do livro foi boa, realmente boa. Rosemberg sempre teve um problema de autoestima e, a fim de aplacar suas dores emocionais, teria recorrido à mais famosa obra de Espinosa, Ética, a qual houvera também aplacado os dramas internos do grande escritor alemão Goethe.

É claro, isto seria um enorme paradoxo, visto que Espinosa nasceu judeu e Rosemberg foi um dos maiores pregadores da ideologia antissemita. Por isso, Rosemberg teria se agarrado a ideia de que Espinosa, na verdade, não podia ser mais do que um grande plagiador. E que melhor maneira ele teria de descobrir a verdade que não analisando os livros que o pertenciam?



No entanto, a trama da história carece daquela típica construção desenvolvimento/clímax/desfecho, o que torna a leitura, em sua grande parte, extremamente enfadonha. Em alguns livros isso pode até funcionar, mas este não foi o caso. A maior função do livro, afinal, seria uma obra de fácil entendimento sobre a filosofia de Espinosa, uma vez que romances são muito mais facilmente digeridos pelo cérebro do que textos acadêmicos, mas ficou mais parecendo um livro de história com informações hipotéticas. 

Acho que um dos pontos que mais me incomodou na narrativa foi a necessidade de adicionar personagens fictícios que atuassem como terapeutas dos protagonistas. Em outros romances do autor um dos protagonistas sempre era psicólogo e, neste, onde isso não foi possível, o autor não conseguiu abordar certos temas sem adicionar um à história. No fim fiquei com a sensação de ler apenas mais do mesmo, o que foi uma pena, porque o autor possui obras excelentes e eu estava com muitas expectativas sobre esta.

Quanto ao trabalho da editora, acabei tendo uma surpresa positiva, pois não costumo gostar da Agir e este livro ganhou uma capa bem bonita, com diagramação do miolo bem feita. Não vi erros na revisão, também.

 Avaliação final:

You Might Also Like

46 comentários

  1. Oi
    Uma pena que você não gostou do livro, é uma pena quando isso acontece. Mais pela resenha ele nao parece ser interessante.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu gosto desse tipo de história a sinopse me encantou, fiquei mesmo triste por não ter gostado <//3

      Excluir
  2. A ideia do livro parecia de verdade ser boa, ainda mais para quem gosta de humanas, mas que pena que você não gostou.
    Beijos

    Devaneios Insignificantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, esperava bem mais desse enredo :/

      Excluir
  3. Nem comecei a ler a resenha e já não gostei do livro shuah.
    Nada me chamou atenção, capa, título nenhuma dessas coisas me deixou interessada em ler a resenha, mas claro para não fazer desfeitas eu a li.
    Você descreve muito bem, sabe fazer uma resenha muito boa, mas não encontrei nada que me atraísse no livro, então não tenho muitas opiniões sobre o livro que eu possa discutir.
    Acho que esse tipo de livro eu não leria >.<
    Desculpe qualquer coisa xD
    Beijos!
    ||Crazy Cake ||

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro voltado para quem gosta de filosofia e história mesmo, normal algumas pessoas não se interessarem.

      Excluir
  4. É um livro para quem realmente gosta.
    Concordo com a Brenda, do comentário anterior, sua resenha é bem feita, gostei.
    Beijos!

    http://hojeediadelivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu não costumo ler livros assim, acho chatos uheuheuhe.

    Beijos

    nuvemdeorigami.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Elisa,
    Li Quando Nietzsche Chorou e gostei bastante. E até tinha curiosidade de ler outro livro do autor, mas acho que vai ficar só na vontade mesmo. Uma pena que o autor nao soube explorar melhor a premissa que tinha em maos.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei Quando Nietzsche Chorou, por isso fiquei realmente decepcionada :/

      Excluir
  7. É realmente uma dor quando você ve um autor com uma ideia maravilhosa mas que não sabe usá-la não?
    Espero que os próximos livros que você venha a ler o superem <3
    Seguindo o blog, poste logo!
    Beijos!!!

    http://umagarotanadaencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste de verdade <//3 Felizmente estou lendo um livro ótimo no momento, para compensar :)

      Excluir
  8. É triste quando esperamos mais de um autor ou de uma obra e eles nos decepcionam. Pena que ele não conseguiu utilizar bem, a boa ideia do livro. Tenha um dia abençoado, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    http://paisagemdejanela.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Às vezes a gente se engana com o tema do livro, mas serve de experiência né?

    Beijos, O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora eu sei que vou começar a ler o livro antes de comprar, independentemente de quem escreveu, haha.

      Excluir
  10. Oii ! Adorei a sinceridade na resenha! Não leria esse livro!

    Te indiquei numa tag lá no meu blog! Beijo
    http://mundoemcartas.blogspot.com.br/2015/02/tag-sua-vida-em-livros.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso ser sincera sem medo porque o autor nunca vai ler mesmo, haha.

      Excluir
  11. Muito boa sua resenha! Nunca li nada parecido, acho que não faz muito meu estilo.
    Parabéns pelo blog, desejo muito sucesso!
    Beijos,
    Vitoria
    p.s: saiu novo post na web Caso 54 - Tales, corre conferir! http://lonelyfireflies.blogspot.com.br/2015/02/web-caso-54-tales-capitulo-3-parte-1.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aparentemente não faz o estilo de quase ninguém, haha.

      Excluir
  12. Amei o blog, resenha otima preciso ler esse livro kkk
    bem ja estou seguindo o blog ^^
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você goste dele mais do que eu, então.

      Excluir
  13. Oi Elisa, tudo bem?
    Adorei a resenha, gosto quando a pessoa é sincera e mostra como o livro é de verdade, nunca li nada do autor, mas não leria esse livro, não me chamou a atenção, e pela sua resenha e com certeza não iria gostar, beijos Lost Words

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não adianta amenizar se a intenção é mostrar como me senti sobre a leitura, não é?

      Excluir
  14. Oi Elisa! Que pena que não foi uma boa leitura pra você, espero que a próxima seja melhor! Esse tipo de livro não faz muito a minha praia, a única coisa que eu li relacionado a filosofia e um pouco de história foi O Mundo de Sofia, quando eu tinha 15 anos, por causa do primeiro ano do ensino médio, facilitou muito o meu aprendizado, mas só fui até aí haha meus favoritos mesmo estão na pura ficção do romance, como você já deve suspeitar depois de algumas visitinhas lá no meu cantinho ^^ mas adorei a resenha bem explicada ;) beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei a ler O Mundo de Sofia e nunca terminei, espero retomar a leitura algum dia. Não sou uma enorme fã de filosofia, mas gosto de diversificar de vez em quando e sair da zona de conforto~

      Excluir
  15. Esse gênero não é muito o que eu gosto, sinto pelo livro não ter sido coo você esperava, acontece né?
    Estou seguindo seu blog, uma lindeza!
    Beijos, Tabatha
    http://aproveiteolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, de vez em quando a gente tem que se decepcionar com uma leitura para gostar ainda mais do livro seguinte.

      Excluir
  16. É uma que esse livro não tenha funcionado tão bem para você; é horrível quando o livro não é o que a gente esperava.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia...mas também não faz muito o meu género!

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  18. Eu não conhecia o livro. Fiquei interessada por parecer ter um certo mistério, mas depois da sua conclusão o interesse puf, sumiu.

    RAW

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 400 páginas para descobrir o enigma de Espinosa e no fim ele continua vago. Adoro.

      Excluir
  19. Olha eu sinceramente não conhecia esse livro.
    Achei ele bastante interessante pelo seu conteúdo e tudo mais, mas não seria um livro que eu leria viu?
    Acho que não faz muito meu gênero. Mas eu não costumo julgar o livro, até porque a gente pode ler e ainda gostar. Então com certeza eu acho que uma hora dessas darei uma chance para saber mais sobre a história, porque de qualquer maneira me chamou atenção e sua resenha está perfeita. Vc escreve de uma maneira bastante objetiva e acho isso muito bom em uma resenha. Meus parabéns viu?! =] Continue assim que sempre passarei aqui para ver suas resenhas lindas.
    Se cuida querida e fica com Deus

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ♥
      Mas, quando for se arriscar em alguma leitura do gênero, sugiro começar por outro livro.

      Excluir
  20. Olá!
    A idéia do livro parece muito boa mas não sei se eu conseguiria ler esse tipo de livro.Não sei se seria do meu agrado :/
    Você foi indicada a um desafio literário:http://heartbyheartfic.blogspot.com.br/2015/02/desafio-literario.html
    Beijos <3
    http://heartbyheartfic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. O livro é do tipo que nunca costumo ler, é bem diferente e tenho certeza que ficaria bem confusa com o assunto. Filosofia não é meu porte, mas admiro.
    Fiz o teste uma vez com livros do tipo e fiquei bem confusa, planejo ler mais para melhorar isso.
    sessão proibida †

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem muitos livros bons para se inciar um gosto pela filosofia, mas este não é um deles, haha.

      Excluir
  22. Realmente, a leitura ser tão sem emoção acaba tirando toda a graça, imagino até o quão difícil tenha sido finalizá-lo. Por isso mesmo provavelmente eu não gostaria do livro :(

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "O Cavaleiro Fantasma", vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só terminei porque já tinha comprado :/

      Excluir
  23. Eu nunca tinha visto esse livro e cá entre nós, não tenho vontade de lê-lo. Acho que não é muito o meu estilo. Tem até coisas que eu gosto, como capítulos alternados, mas de resto não me chama a atenção de jeito nenhum. E cá entre nós, eu amo quando tem clímax, mesmo quando não precisa. kkk
    Beijos
    Lendo & Apreciando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que todo romance PRECISA de clímax. Por isso a leitura realmente me decepcionou.

      Excluir

Flickr Images